2 de maio de 2016

Diário de bordo Europa 1: Lisboa!

Bom, galera.. Estou começando uma série aqui no blog (mais um projeto que tenho que quero desenvolver! E QUE ESPERO QUE VOCÊS GOSTEM, NÉ?!), que é o meu diário de bordo!

Como vai funcionar? Eu queria fazer um post de cada lugar. Porém, todavia, entretanto... Eu não consegui escolher algumas poucas fotos pra esse fim. Percebi que teria mais foto do que o planejado. ENTÃO, pra resolver e facilitar a minha vida E a de vocês: Vou fazer por semana, além dos posts diários que vocês já estão acostumados, DE SURPRESA, os posts referente à cada país! SIM! porque tem bastante coisa pra falar, pra postar (e acabou a minha vida também, né.. Agora danou-se!)

MAS BEM! Começando com um lugar que MESMO DO OUTRO LADO DO OCEANO (vejam bem, meus queridos, é muito longe! Infelizmente!) me faz sentir que estou em casa! SIM, estou falando da minha amada Lixboa! Em 2014, quando fui pra Europa com os meus pais, eu não tinha mínima noção do que eu encontraria e confesso que eu me surpreendi!

Primeiro registro bebendo Starbucks (reparem na sacolinha onde há uma térmica de café dentro)



Vocês sabem que eu sou A-P-A-I-X-O-N-A-D-A por Starbucks e que um dos motivos pelos quais eu quero ir morar na Europa é por ter Starbucks lá! Essa foi a primeira loja da Starbucks que eu vi na Europa quando eu fui, foi meu primeiro café na rede deles e eu não queria mais nada! Calor, eu tava suando igual uma porca gorda (figura de linguagem, galera!), mas eu não tava nem aí! Eu só queria tomar café! (Como mostra a foto a seguir..)

Esse foi um dos motivos que eu me apaixonei!

Mas nem só de café e Starbucks se vive, né? (Bem que poderia...) Como o foco aqui é mostrar minha visão de Lisboa pra vocês, continuemos no foco! 
Já falei no post se Londres, que brasileiro no exterior é uma loucura. Os gringos AMAM a gente, nossa cultura, nosso povo, etc e eles são MUITO carinhosos com a gente! Principalmente os portugueses! E eu consegui perceber e sentir isso, no meu primeiro dia em Lisboa, quando descemos do hotel e encontramos uma feirinha de artesanatos e coisas diferentes. Meu pai encontrou uma senhora vendendo miniaturas de carros antigos, kombis, etc e comprou uma kombi dela. Enquanto eu e minha mãe olhávamos os trabalhos dela nas peças e tudo mais, ela reparou que eu usava bijouterias, anéis e pulseiras e ela também confeccionava peças assim. Me mostrou um anel de botão e me deu de presente, de boas vindas. Eu achei aquele gesto de muito bom gosto e, pra minha surpresa, ela não foi a única! Mais tarde enquanto almoçávamos em um restaurante, um rapaz de origem africana, vendendo pulseiras veio primeiro oferecer e tentar vender. Mas eu não quis comprar, então ele, muito humilde, me entregou 3 pulseiras que ele pegou ao acaso, sem escolher no monte que elas estavam, e me entregou. Me disse que era um presente pra mim, pela minha simpatia. Isso foi algo que eu nunca esqueci. 

Aqui vocês podem ver o anel, as pulseirinhas e o elefantinho.
E logo depois, um outro rapaz que fazia figuras de animais em madeira, nos presenteou com uma tartaruguinha e um elefantinho, que devemos colocar de costas para a porta, evitando o mau olhado. Eu nunca mais tirei essas pulseiras e o anel do corpo. Com exceção de que quando cheguei em Londres, em outubro do ano passado e fui pegar a minha mala, uma das vermelhas arrebentou na rodinha da mala (Já mostra toda a sorte que eu teria em Londres, né?!)

Bom, galera! Espero que vocês tenham gostado desse primeiro diário de bordo, que é um novo projeto aqui do blog. E SIM, o #meudesafiodafoto continua, ainda tá no ar!

Eu espero que vocês tenham gostado! Comentem aqui o que vocês acham de como os brasileiros são tratados lá fora, se tu já saiu do país, pra onde tu foi, se tu gostou e tudo mais. ok?!

Era isso! Fiquem bem e até a próxima! <3

0 comentários:

Postar um comentário

Eaí, gostou do post? Me fala aqui nos comentários! <3

 
Cantinho da Ruiva | Layout por A Design