25 de abril de 2016

Pânico do sono. Eu tenho.

Bom, não sei se vocês chegaram a assistir a reportagem do Fantástico ontem, sobre isso. Não foi a primeira vez que eu vi isso em algum lugar (ano passado vi no facebook e titubeei bastante antes de ler a matéria, porque isso realmente me dá MUITO medo. E eu não tô brincando.), mas eu quis assistir a matéria do Fantástico e, inclusive, me coloquei por cima da minha mãe, que me xingou e disse que não queria que eu visse a matéria. Mas no fim, vimos eu, a mãe e o pai. Mais uma vez ficou claro: Eu tenho essa doença. E não é de hoje.

Eu sofro muito de ansiedade, todos os dias, toda hora. Qualquer coisa me causa ansiedade, desde que eu me entendo por gente e comecei a me entender. Ansiedade não é nervosismo. Ansiedade não é estar aflita por não saber o que pode acontecer. Ansiedade é ter medo, saber do que pode e não pode acontecer, querer que aconteça logo pra tu te livrar, não conseguir dormir, comer, estudar, e nem fazer nada em relação a alguma coisa ou situação. Suar frio por besteira. Ficar pálida em segundos. Se confrontar com uma situação de medo repentina e NÃO esperada na tua frente. Eu fico ansiosa por tudo. Até por uma festa no final de semana. Qualquer coisa.

Antigamente eu costumava fugir dessas situações. Forçava atraso em aula por não ter conseguido fazer a tarefa de casa, chorava igual uma louca porque não tinha lido um livro pro seminário de literatura, enlouquecia. E isso sempre me fez muito mal. Pra minha mãe, até hoje, isso é drama meu.

Bom, essa ansiedade me gera um pânico. Eu sinto ela diariamente, por qualquer motivo. exemplo bem atuais de coisas que me tiraram o sono, em níveis de importância e relevância diferentes:
- quando eu fui tirar os cisos.
- quando fui colocar o aparelho
- véspera de feriado da páscoa
- quando eu tive a primeira prova da Cleusa nesse semestre
- quando descobri que eu tinha perdido o prazo da entrega dos documentos pra estudar fora pela minha universidade no próximo semestre.
- quando enviei meu currículo pra uma vaga de estágio
- quando eu enviei eu projeto pra algumas empresas em poa
- quando eu fui resolver uma treta com um amigo meu
- quando eu vou apresentar um trabalho na faculdade.

Viram? São coisas totalmente aleatórias mas que me dão a ansiedade.
Bom, como na matéria do fantástico eles disseram, a ansiedade é um dos sintomas dessa doença do Pânico do sono. E, dependendo do grau da minha ansiedade, eu choro. Choro do nada, igual uma louca. E eu não consigo controlar. Várias vezes eu já forcei briga com meus pais ou amigos, porque eu comecei a chorar e fiquei irritada e eles me perguntaram o que era e até eu conseguir explicar, e enfim... Não é algo de fácil entendimento. Então pra me livrar logo de questionamentos, eu prefiro fingir que to irritada, fechar a cara, forçar uma briga e sem chamada de louca do que ficar tendo que explicar, porque, pra quem não sente e não tem isso, é muito difícil de entender.

Sonhos, Pânico do sono.

A Síndrome do Pânico no Sono é bem complicada. Eu tenho ela desde pequena. Sempre tenho impressão de que tô sendo vigiada. DO NADA. (tipo agora, dei uma olhada em volta na sala, onde tô escrevendo, são 03:04 da manhã e eu tô sozinha aqui, "vendo" filme e com o barulho da chuva e minha cabeça pode simplesmente sismar que tenha algo me observando e eu tenho que checar isso.). Bem, em 2005 minha avó paterna faleceu e antes disso ela morou por um bom tempo aqui em casa, pra poder ir no médico fazer quimioterapia pelo câncer de pulmão. O fato de ela ter convivido muito aqui em casa, no quarto do lado do meu, eu acho que foi um grande fator pra que eu desencadeasse isso. Depois que a minha avó faleceu, eu precisei ir numa psicóloga.

Várias coisas desencadearam na minha vida. E eu acredito que essa tenha sido só mais uma. Por várias vezes eu escutava ela me chamando ou conseguia ver alguém deitada na cama dela quando a porta do quarto ficava aberta. Por anos eu tentei não entrar naquele quarto por medo disso. As psicólogas que eu fui nunca ajudaram em nada nesse sentido. Na verdade não fizeram merda nenhuma. Me deram alguns remédios e pronto. Depois de um tempo eu tinha pesadelos direto. Sonhava com ela, mesmo sabendo da condição impossível de ela estar num mesmo plano que eu, mas eu, na minha cabeça, no sonho, pensava "vó, tu morreu. mas tu tá aqui falando comigo. isso é estranho, mas beleza. me fala, o que houve?" (isso no sonho). E eu acordava e nem conseguia olhar pra dentro daquele quarto! É muito confuso ainda, isso pra mim. Quando eu falava pra minha mãe, ela me dizia "não precisa ter medo, deixa de ser boba! A vó nunca faria mal pra ti!" (Esse assunto é tão forte pra mim, que eu tô quase chorando agora. Mas tudo bem, Preciso superar isso e passar por essa barreira).

Por um tempo, uns dois anos depois dela morrer, eu comecei a ter pesadelos fortes com relação à morte. Acordava suando frio e às vezes eu nem dormia mesmo e dane-se! SEMPRE tive a sensação de alguém no quarto me observando. Comecei a dormir de abajur aceso (e continuo até hoje). Deixo os furinhos na persiana abertos e quando começa a clarear o dia, eu apago o abajur. Se eu pego no sono antes, meu pai apaga o abajur antes de ir pro trabalho. Eu não consigo mais, há uns anos, dormir sem a luz acesa. Sério. Não tem condições! É a pior sensação do mundo! E vendo essa matéria ontem no fantástico, eu decidi fazer esse post (vai que existe mais alguém por aqui que me siga e tenha também, né?!)

Bom, eu precisava escrever sobre isso. Me deu uma vontade enorme de colocar pra fora, isso aqui. Espero que vocês tenham gostado de conhecer mais um pouco sobre mim. Saber das minhas manias e enfim, das minhas loucuras!

Tu tem algum trauma parecido com o meu? Alguma coisa assim que te prive de fazer algo? Me conta aqui nos comentários! Conhece alguém que também tenha essa ansiedade? Compartilha esse post com ela!

Fiquem bem se cuidem e até a próxima! <3

2 comentários:

  1. Caraca q terrível essa doença eu danço então a dica q te dou é fazer algum tipo de dança pq nos relaxa tira um pouco da ansiedade bjokass
    www.dicasdadacy.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fazia ballet. Fiz por alguns anos. Não é disso, a ansiedade. é mais tenso :/

      Excluir

Eaí, gostou do post? Me fala aqui nos comentários! <3

 
Cantinho da Ruiva | Layout por A Design